ILCH da Universidade do Minho celebra 43 anos com nova biblioteca

By | Notícias

Uma nova biblioteca “como prenda” é um dos momentos das comemorações do Instituto de Letras e Ciências Humanas (ILCH) da Universidade do Minho que na próxima quinta-feira celebra o 43º aniversário pelas 14h30, no anfiteatro B1 do campus de Gualtar, em Braga.

A sessão solene conta com intervenções do reitor Rui Vieira de Castro, do presidente do Instituto, João Cardoso Rosas, e a palestra “Developing Digital Humanities: The BasNum Project in digitising legacy dictionaries”, pelo professor Geoffrey Williams, da Universidade da Bretanha – Sul (França).

A inauguração da nova biblioteca está marcada para as 16h30 e é homenagem a Vítor Aguiar e Silva, professor catedrático emérito da UMinho e figura ímpar dos estudos humanísticos.

O ILCH conta com mais de 1300 estudantes, em oito licenciaturas, 11 mestrados e 5 doutoramentos, e várias dezenas de docentes e investigadores em atividades de ensino, I&D e ligação à comunidade. Possui sete departamentos (Estudos Asiáticos, Estudos Germanísticos e Eslavos, Estudos Ingleses e Norte Americanos, Estudos Portugueses e Lusófonos, Estudos Românicos, Filosofia e Música), dois centros de investigação (Centro de Estudos Humanísticos – CEHUM e Centro de Ética, Política e Sociedade – CEPS) e o Centro de Línguas da UMinho (BabeliUM), que disponibiliza cursos em cerca de 15 línguas.

Sedia também unidades como o Centro de Estudos Galegos, a Fundação Mundo Russo e a Sociedade de Filosofia da Eurorregião Galiza-Norte de Portugal. O Instituto aposta no desenvolvimento das artes, da cultura humanista, do pensamento crítico, na valorização da língua portuguesa no país e no mundo, além da promoção do multilinguismo e de um ambiente multicultural, com especial atenção à inovação, à interdisciplinaridade e à cooperação, com parcerias em todos os continentes.

Fonte: https://www.diariodominho.pt/2018/12/11/ilch-da-universidade-do-minho-celebra-43-anos-com-nova-biblioteca/

Já nasceu a Rede Intermunicipal das Bibliotecas do Algarve

By | Notícias

A Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), a Universidade do Algarve e a Direção-Geral dos Livros, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB) assinaram na sexta-feira, 7 de Dezembro, o acordo de cooperação para a criação da Rede Intermunicipal das Bibliotecas do Algarve (BIBAL).

O protocolo assinado na Câmara Municipal de Olhão refere que «a cooperação entre as diferentes entidades tem como finalidade o desenvolvimento de serviços em rede, numa lógica de partilha e otimização de recursos, visando a oferta de serviços comuns para a Comunidade Intermunicipal e a prestação de um serviço público de qualidade».

Para Jorge Botelho, presidente da AMAL e da Câmara Municipal de Tavira, o acordo representa «um compromisso de todos, à escala regional, para que o Algarve possa ter uma rede de bibliotecas que se articula entre si, e não cada uma por si».

A rede, que vai integrar as bibliotecas municipais de 15 concelhos da região, bem como a biblioteca da Universidade do Algarve, prevê ainda dar continuidade a projetos de cooperação entre bibliotecas, contribuir para o processo de modernização administrativa, fomentar a criação de procedimentos comuns que conduzam à promoção da identidade regional, realizar projetos comuns e desenvolver atividades de formação e de promoção das literacias e de cidadania.

O município de Aljezur não tem neste momento biblioteca municipal mas o objetivo é que venha a ter e que seja também integrada nesta rede.

Presente na assinatura do protocolo, Silvestre de Almeida Lacerda, diretor geral da DGLAB, considerou que «este pode ser um ponto de partida para um trabalho que se poderá realizar em favor da cultura e da literacia», servindo as bibliotecas enquanto locais que ajudam «a que os cidadãos criem um espírito crítico ainda mais acentuado».

Paulo Águas, reitor da Universidade do Algarve, relembrou o papel que as bibliotecas tiveram na sua própria formação e disse esperar que esta rede possa servir para «criar uma sociedade mais justa e até mais competitiva».

A estrutura coordenadora da BIBAL será assegurada por três bibliotecários, eleitos de dois em dois anos.

Fonte: https://www.sulinformacao.pt/2018/12/ja-nasceu-a-rede-intermunicipal-das-bibliotecas-do-algarve/
Imagem retirada de: http://www.postal.pt/2018/09/bibliotecas-do-algarve-juntam-rede-amal-aprovou-criacao/

Investigadores do Porto lançam projeto para integrar Torre do Tombo no “mundo digital”

By | Notícias

Investigadores do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), no Porto, vão lançar em janeiro um projeto que visa integrar “no mundo digital” os documentos do Arquivo Nacional da Torre do Tombo (ANTT).

Em declarações à Lusa, Cristina Ribeiro, investigadora do Centro de Sistemas de Informação e de Computação Gráfica (CSIG) do INESC TEC e responsável pelo projeto, adiantou que a ideia surgiu da necessidade que “os arquivos sentem de expor o seu acervo de forma mais moderna”.

O projeto, designado EPISA – Entity and Property Inference for Semantic Archives, vai ser lançado em janeiro e visa, a partir da análise de 20 milhões de representações digitais e de documentação analógica que existem no Arquivo Nacional da Torre do Tombo (ANTT), entidade responsável por preservar todos os documentos do Estado Português, produzir “novas representações”.

“Uma das faces deste projeto é facilitar o acesso aos cidadãos e a outra é a incorporação, isto porque os arquivos têm também como missão fazer memória da administração pública”, esclareceu Cristina Ribeiro, também docente na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

Através de métodos como o processamento de linguagem, o reconhecimento de entidades e a aprendizagem automática, a equipa de investigadores do INESC TEC pretende, nos próximos três anos, “transformar as descrições existentes em representações mais sofisticadas e mais semânticas”.

O projeto EPISA, que conta com a colaboração da Universidade de Évora e da Direção Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), é um dos 15 projetos aprovados no concurso de Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico em Ciência de Dados e Inteligência Artificial na Administração Pública, uma iniciativa da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) que junta o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e o Ministério da Modernização Administrativa.

Fonte e mais informações: https://24.sapo.pt/tecnologia/artigos/investigadores-do-porto-lancam-projeto-para-integrar-torre-do-tombo-no-mundo-digital

“A fotografia nos arquivos” – oficina da BAD

By | Notícias

A BAD está a promover a oficina “A fotografia nos arquivos”, que terá a duração de 18 horas e será ministrada nos dias 17 a 19 de dezembro, em Lisboa.

Esta oficina terá como principais objetivos:

– ensinar a compreender, analisar e preservar os documentos fotográficos presentes em arquivos;
– apresentar as caraterísticas fundamentais dos documentos fotográficos;
– apresentar uma metodologia adequada para o tratamento arquivístico, de acordo com os pressupostos legais e referencial normativo em vigor, desde o momento da entrada dos documentos até à difusão;
– compreender e identificar formas de deterioração das fotografias;
– conhecer noções elementares de preservação e restauro de fotografia.

Os principais destinatários desta oficina são dirigentes, técnicos de arquivo, bibliotecas e museus (superiores e/ou profissionais), fotógrafos, conservadores e estudantes.

A formadora que ficará responsável pela oficina é Isabel Corda.

Consulte o programa e toda a informação: http://www.apbad.pt/Downloads/formacao/Oficinas/OF_S03_18.pdf

Fonte: https://www.bad.pt/noticia/2018/11/26/saiba-tudo-sobre-a-fotografia-nos-arquivos-2/

Museu do Douro convida a conhecer o “outro lado”

By | Notícias

O Museu do Douro abriu ao público, no passado domingo, um novo circuito que leva os visitantes ao “outro lado”, revelando os bastidores desconhecidos como o arquivo, as oficinas de restauro e de conservação da instituição, com sede na Régua.

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, salientou que o novo circuito “O outro lado do Museu” é uma iniciativa “criativa e importante” que vai ajudar a atrair visitantes a este museu de território.

O diretor do Museu do Douro, Fernando Seara, disse que o objetivo é dar visibilidade a áreas até agora desconhecidas e, ao mesmo, dar reconhecimento às pessoas que ali trabalham.

Assim, depois de visitarem a exposição permanente “Douro: Matéria e Espírito”, os visitantes são desafiados a irem aos bastidores, passando pela sala de expurgo, onde se faz a higienização dos documentos, pela sala de quarentena onde se realiza a desinfestação de objetos e documentos, pela sala de conservação e pela oficina de restauro.

“É possível ver os vários níveis de intervenção que nós fazemos nos objetos antes de eles serem expostos e, mesmo os que são expostos, muitas vezes vêm cá para ações de conservação preventiva e limpezas”, explicou o conservador da unidade museológica, Carlos Mota.

A sede do Museu do Douro foi inaugurada há dez anos. O museu possui quatro núcleos museológicos e impulsionou a criação da Rede de Museus do Douro que abrange 48 espaços públicos e privados.

Fonte: http://www.pportodosmuseus.pt/2018/12/03/museu-do-douro-convida-a-conhecer-o-outro-lado/

British Library expõe pela primeira vez três cadernos de Leonardo da Vinci

By | Notícias

Em 2019, cumprem-se os 500 anos da morte de Leonardo da Vinci. Para assinalar a data, a British Library, em Londres, preparou uma “exposição única” que irá juntar, pela primeira vez no Reino Unido, uma seleção de páginas de “três cadernos extraordinários” do pintor e inventor italiano. O objetivo é, de acordo com o organismo, “explorar o seu fascínio pelo movimento”, que da Vinci “considerava ser ‘origem de toda a vida’”.

Dois dos cadernos, o Codex Arundel e o Codex Forster, encontram-se atualmente no Reino Unido. O primeiro, a segunda maior compilação de páginas que pertenceram a da Vinci, é um dos maiores tesouros da British Libray e inclui os mais variados materiais, como tratados sobre mecânica ou o voo dos pássaros, desenhos de um aparelho para respirar debaixo de água, adivinhas, profecias e notas pessoais do seu autor. O segundo faz parte do espólio do Victoria and Albert Museum, também em Londres.

A estrela da exposição, intitulada Leonardo da Vinci: A Mind in Motion, será o terceiro caderno, o Codex Leicester, considerado o mais importante de da Vinci sobre ciência. Este pertence a Bill Gates, que o comprou por 30 milhões de dólares (cerca de 26 milhões de euros) em 1994. Na altura, estava na posse do magnata norte-americano Armand Hammer, que o tinha adquirido em 1980 aos descendentes de Thomas Coke, Conde de Leicester. Coke comprou o caderno em 1719, durante uma viagem pela Europa. Esta é a primeira vez que o Codex é exposto no Reino Unido desde que foi adquirido pelo fundador da Microsoft.

Cerca de um terço do manuscrito, “escrito na distintiva escrita invertida” de Leonardo da Vinci, está relacionado com água, e mostra como esta “influenciou o seu trabalho como artista e como inventor”. “Com desenhos intrincados e diagramas que enchem cada página”, o Codex Leicester inclui reflexões variadas sobre, por exemplo, a formação das ondas, o curso dos rios, a velocidade do vento e a origem da luz e da sombra, explica a British Library.

Ao The Guardian, Andrea Clarke, principal curadora da exposição, afirmou que os três cadernos mostram como Leonardo da Vinci era um pensador dinâmico e como foi capaz de fazer ligações entre diferentes fenómenos e disciplinas.

Leonardo da Vinci: A Mind in Motion estará patente na British Library em Londres de 7 de junho a 8 de setembro de 2019.

Fonte: https://observador.pt/2018/12/04/british-library-expoe-pela-primeira-vez-tres-cadernos-de-leonardo-da-vinci/

Museu da Ciência da Universidade de Coimbra comemora 12 anos

By | Notícias

Amanhã, dia 5 de Dezembro, o Museu da Ciência da Universidade de Coimbra comemora doze anos.

Há exactamente 200 anos, José Bonifácio de Andrada e Silva, na altura Director da Casa da Moeda, servia-se do Laboratorio Chimico para aqui fundir prata e ouro para produção de moeda.

Mais conhecido no Brasil como o Patriarca da Independência, José Bonifácio foi em Portugal Director do Laboratorio Chimico da Universidade de Coimbra (UC) e foi a primeira pessoa a utilizar a palavra tecnologia em língua portuguesa.

Com esta associação aos nobres elementos Ouro e Prata, o Museu da Ciência da UC inicia as suas comemorações do Ano Internacional da Tabela Periódica 2019.

PROGRAMA

11H00: Sessão de boas vindas com a presença do Sr. Vice-Reitor Doutor Luís Menezes;

11H10: Assinatura de memorandos de entendimento entre o Museu da Ciência da UC e a Delegação Regional do Centro da Sociedade Portuguesa de Matemática, o Herbário da UC e o Departamento de Química da FCTUC;

11H30: apresentação do documentário José Bonifácio, produzido pela RTP em 2013, seguido de debate com a presença de um dos autores, Francisco Castro Rego;

15H00: Dia Mundial dos Solos 2018 – actividades hands-on.

A entrada é livre.

Fonte: http://www.museudaciencia.org/index.php?module=events&option=calendar&id=895

Sessão de apresentação do Archeevo 5 em Viseu

By | Notícias

No passado sexta-feira, dia 30 de novembro, realizou-se no salão nobre da Santa Casa da Misericórdia de Viseu, uma sessão de apresentação do software Archeevo 5, promovida pela KEEP SOLUTIONS.

O evento reuniu representantes de algumas instituições, públicas e privadas, da área circundante.

A sessão foi iniciada por Henrique Almeida, do departamento cultural da Misericórdia de Viseu e prosseguiu com uma apresentação da KEEP SOLUTIONS e dos seus produtos e serviços, feita pelo diretor comercial Luís Miguel Ferros, que deu ainda uma visão geral do trabalho que é desenvolvido pela empresa.

De seguida, o gestor de projetos Rui Rodrigues passou à apresentação prática do Archeevo 5, fazendo uma demonstração do software, com especial destaque para as novas funcionalidades do mesmo.

Ao longo da sessão, os participantes puderam dar o seu contributo, partilhando a sua experiência e as suas dúvidas, o que resultou num ambiente bastante dinâmico e enriquecedor.

Cientistas europeus criam aplicação para transcrever manuscritos antigos

By | Notícias

Cientistas europeus inventaram um método simples e extremamente eficaz para transcrever automaticamente manuscritos antigos, graças à inteligência artificial.

O Arquivo do Estado de Tirol, em Innsbruck, na Áustria, é um dos parceiros do projeto READ. A instituição possui uma imensa quantidade de documentos antigos.

O método desenvolvido pelos cientistas do projeto europeu READ baseia-se numa pequena tenda e numa aplicação para smartphone. A partir da aplicação, o utilizador tira uma foto da página em alta resolução, cada vez que vira a página do livro.

“É uma combinação de tecnologia básica com alta tecnologia. Mas funciona com uma aplicação para smartphone que incorpora alta tecnologia e que está ligada à plataforma Transkribus. A aplicação descarrega a imagem no servidor e o servidor realiza o reconhecimento do texto manuscrito”, explicou Guenter Muehlberger, coordenador do projeto READ e investigador em digitalização da Universidade de Innsbruck.

O servidor da Universidade de Innsbruck usa algoritmos de aprendizagem automática. O utilizador transcreve uma parte do texto manualmente e a partir daí o sistema aprende a identificar os caracteres e termina a tarefa automaticamente. O nível de precisão ultrapassa os 95%. O sistema é capaz de transcrever textos em qualquer língua.

O projeto europeu READ integra vários países: Áustria, Espanha, Alemanha, Suíça, Finlândia, Reino Unido e Grécia. Devido ao sucesso do projeto, a equipa pretende comercializar a plataforma no mundo inteiro.

Fonte e mais informações: https://pt.euronews.com/2018/10/29/cientistas-europeus-criam-aplicacao-para-transcrever-manuscritos-antigos

A DPC publica artigo da KEEP SOLUTIONS sobre interoperabilidade

By | Notícias

A Digital Preservation Coalition (DPC) é uma organização sem fins lucrativos, constituída por várias instituições-membros, que trabalha no âmbito da preservação digital. A sua missão é permitir que os seus membros ofereçam acesso continuado e de longo prazo a conteúdos e serviços digitais, ajudando-os a obter valor duradouro a partir de ativos digitais e a aumentar a consciencialização sobre os desafios estratégicos, culturais e tecnológicos que enfrentam.

Hoje, Dia Mundial da Preservação Digital, o blog da DPC está a publicar artigos escritos por instituições europeias que trabalham na área da gestão e preservação de informação. O objetivo desta iniciativa é lembrar a importância da preservação digital nos nossos tempos e ao longo do dia estão a ser publicados artigos que abordam esta temática.

Neste sentido, A KEEP SOLUTIONS foi convidada a dar o seu contributo e Miguel Ferreira, diretor executivo da empresa, escreveu sobre interoperabilidade.

Veja o artigo disponível em https://www.dpconline.org/blog/idpd/if-they-can-t-agree-on-the-plug

Fonte (imagem): https://archive-it.org/blog/post/the-digital-preservation-coalition-welcomes-the-internet-archive-as-its-80th-member/