Category

Notícias

Prémio Arquivo.Pt já tem vencedores. Conheça os projetos selecionados!

By | Notícias

Este ano, o Prémio Arquivo.pt distinguiu uma ferramenta para encontrar ligações de entidades escondidas no conteúdo jornalístico português, uma extensão para pesquisa do serviço Arquivo.pt e ainda uma aplicação para explorar os preços do passado.

Miguel Ramalho criou uma ferramenta para “desarquivar” as ligações entre pessoas, organizações ou locais através de notícias dos últimos 20 anos, o Desarquivo. A ideia surgiu depois de ter visto alguns trabalhos relacionados com a investigação Luanda Leaks, que tentavam, com o recurso à tecnologia, analisar os mais de 700 mil documentos de forma a facilitar o trabalho dos jornalistas. A oportunidade certa para pôr a sua ideia em prática foi a participação no Prémio Arquivo.pt 2020 – um concurso que premeia projetos que mostrem a utilidade e importância do serviço Arquivo.pt, que preserva milhões de páginas recolhidas da Web portuguesa. “Peguei em grandes quantidades de documentos que, neste caso, foram notícia e tentei extrapolar para algo que fosse pesquisável e diferente do que é típico num motor de busca”, conta. Acabou por ser premiado com o primeiro prémio do concurso no valor de dez mil euros.

Esta é já a terceira edição do Prémio Arquivo.pt 2020. Além de Miguel Ramalho, o concurso premiou com o segundo lugar, no valor de três mil euros, uma extensão para este serviço criada por Rodrigo Marques e Hugo Silva. O terceiro lugar foi para Nuno Bragança, que desenvolveu uma aplicação na Internet onde se pode comparar preços desde o tempo do escudo português. Por ela, receberá dois mil euros. A menção honrosa – dedicada a trabalhos realizados com base nos conteúdos do PÚBLICO, que é parceiro mediático do projecto – foi atribuída a Bruno Galhardo, que fez um jogo sobre a data de notícias.

Os trabalhos foram avaliados por um júri composto por Miguel Fontes (director-executivo da Startup Lisboa), Helena Freitas (bióloga e professora da Universidade de Coimbra), Paulo Bastos (jornalista da TVI), Maria Beatriz Marques (professora da Universidade de Coimbra e doutorada em Letras na área de Ciências Documentais) e Teresa Firmino (editora da secção de Ciência do PÚBLICO). Os prémios serão entregues no Encontro Ciência 2020, no início de novembro.

Fonte: Público

Jornadas Europeias do Património 2020 | Convite à participação

By | Notícias

Terão lugar nos dias 25, 26 e 27 de setembro as Jornadas Europeias do Património 2020, este ano subordinadas ao tema “Património e Educação”.

Pretende-se com este tema sensibilizar para o papel do património na educação e para o papel da educação no património, para a riqueza e para a complexidade desta relação – na literatura, nas artes, nos monumentos, na dança, no teatro, na paisagem, nos jogos, nos museus, na fotografia, nos sítios arqueológicos ou na música, entre muitos outros.

Às habituais iniciativas promovidas nestas datas, como visitas guiadas e temáticas; espetáculos artísticos; exposições; palestras ou ateliers, que deverão ser desenvolvidas com a segurança que se impõe, sugerimos a partilha de visitas e exposições virtuais, apresentações, filmes e todo o tipo de iniciativas que possam ser fruídas online.

A Direção-Geral do Património Cultural convida-o a inscrever as iniciativas que pretende organizar. Para aceder à página de carregamento e ao nome de utilizador e palavra passe, poderão contactar pelo email jep@dgpc.pt.

Este ano, a Direção-Geral do Património Cultural disponibiliza o Programa Nacional das JEP 2020 desde já, no entanto sublinhamos que a divulgação atempada das atividades será indispensável ao sucesso das JEP.

Igualmente importante será toda a divulgação que essa entidade possa dar a esta iniciativa através dos variados meios ao seu dispor tais como sites e páginas nas diversas redes sociais.

Consulte o programa em: http://w3.patrimoniocultural.pt/jep2020/digital/

Para saber mais sobre esta iniciativa consulte: http://www.patrimoniocultural.gov.pt/pt/recursos/projectos-de-divulgacao/jep-jornadas-europeias-do-patrimonio/

Fonte: http://www.patrimoniocultural.gov.pt/pt/agenda/atividades-diversas/jornadas-europeias-do-patrimonio-2020-25-26-e-27-de-setembro-convite-participacao/

Museu Arqueológico do Carmo comemora o Dia Internacional da Arqueologia!

By | Notícias

No âmbito das comemorações do Dia Internacional da Arqueologia, que se comemora a 24 de julho, a Associação dos Arqueólogos Portugueses em conjunto com a Prehistoric Skills, tem programado um conjunto de actividades para os visitantes do Museu Arqueológico do Carmo (MAC), no próximo dia 25 de julho (sábado).

Todos os visitantes, sem qualquer restrição de idade, poderão participar nos pequenos ateliês de Arqueologia Experimental relacionados com a Produção Cerâmica, Pedra Lascada e Tecelagem, integrar a visita guiada à Sala 1 do Museu (e tomar conhecimento acerca da colecção e História de Vila Nova de São Pedro), e assistirem ao documentário “Visitando a Memória de Vila Nova de São Pedro”.

Não é necessária inscrição prévia e o preço corresponde ao da Entrada no Museu: https://www.museuarqueologicodocarmo.pt/info.html

Devido à situação de pandemia que se vive no nosso país, o MAC implantou novas regras que permitem uma visita em segurança: https://www.museuarqueologicodocarmo.pt/regras_acesso.html

Fonte: Archport

 

Arquivo do Diário de Notícias pode vir a ser considerado “tesouro nacional”

By | Notícias

A classificação de “tesouro nacional” trata-se da proteção máxima prevista na Lei de Bases do Património Cultural e a Direção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas (DGLAB) quer que seja atribuída ao arquivo do jornal “Diário de Notícias”, segundo uma notícia avançada pelo Público.

Ao jornal, Silvestre Lacerda, responsável pela DGLAB (organismo do Ministério da Cultura que tutela o Arquivo Nacional Torre do Tombo), afirmou que se trata de uma “proposta de ‘interesse nacional’”. A classificação proposta é a “máxima”, algo que se justifica quando “a proteção e valorização [do bem], no todo ou em parte, representa um valor cultural e significativo para a nação”.

Segundo a Lei do Património Cultural de 107/2001, a classificação como “tesouro nacional” justifica-se quando estão presentes os seguintes critérios, além do valor cultural para a nação, explicou também o responsável: “O interesse do bem como testemunho notável de vivências ou factos históricos; o valor estético, técnico ou material intrínseco do próprio bem; a extensão do bem e o que nela se reflecte do ponto de vista da memória coletiva; a importância do bem do ponto de vista da investigação histórica e científica; as circunstâncias susceptíveis de acarretarem diminuição ou perda de perenidade ou da integridade do bem”.

O pedido é feito na sequência do apelo de um grupo de personalidades portuguesas, incluindo dois ex-Presidentes da República, historiadores e jornalistas, no sentido de se classificar o referido arquivo. Nomes como Jorge Sampaio, António Ramalho Eanes, Fernando Rosas, Pacheco Pereira e Irene Pimentel, os escritores Francisco José Viegas e José Luís Peixoto ou os jornalistas Adelino Gomes e Mário Mesquita constavam da lista de subscritores do requerimento.

Segundo Silvestre Lacerda, o arquivo inclui “dossiers temáticos, os recortes de imprensa, os recortes de censura, os desenhos originais de Stuart Carvalhais, de Bernardo Marques, e outros artistas, que eram utilizados nas ilustrações do jornal”. “Também o arquivo fotográfico, composto maioritariamente por documentos do século XX, que incluem negativos e positivos, provas de papel, provas de contacto, bem como bobinas de microfilme com uma coleção do jornal impresso.”

No contexto da apresentação da proposta, a DGLAB diz ter visitado os vários locais onde o arquivo do jornal está guardado, nomeadamente as instalações nas Torres de Lisboa e um armazém na Bobadela. Também foram pedidos pareceres às historiadoras Fernanda Rolo e Paula Miranda, bem como ao antigo diretor do arquivo do DN, Leonel Gonçalves.

Foram também ouvidos vários especialistas, como Fernando Rosas, e responsáveis da Global Media, como o administrador Afonso Gouveia, e o diretor do arquivo da empresa, Pedro Tadeu. O período em causa é o de 1864, data de fundação do jornal, até 2003, data em que a empresa Diário de Notícias S.A. é objeto de extinção por fusão na Global Notícias S.A.

Fonte: https://expresso.pt/sociedade/2020-07-17-Arquivo-do-jornal-Diario-de-Noticias-pode-vir-a-ser-considerado-tesouro-nacional

Rede de Museus do Douro cria passaporte com descontos

By | Notícias

A Rede de Museus do Douro, que agrega 41 instituições, lança hoje, 17 de Julho, um passaporte que permite descobrir o Douro, nas suas mais variadas vertentes, a preços mais acessíveis.

É um convite e um incentivo para partir à descoberta do território duriense. O passaporte, que não terá data de validade, contém uma breve descrição sobre cada um dos espaços a visitar, informação com os horários de atendimento e os descontos atribuídos.

A Rede de Museus do Douro une diferentes tipos de unidades museológicas, integrando museus e centros interpretativos ligados ao vinho, ao azeite, à cerâmica, aos produtos endógenos, à memória, às tradições e à história.

Dela fazem parte lugares e instituições como o Museu do Côa, o Espaço Miguel Torga, o Centro Interpretativo da Cereja, o Museu do Douro, o Jardim Botânico da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, o Museu do Vinho do Porto, o núcleo museológico de Favaios, o Museu do Azeite ou a Calçada do Diabo. Consulte a lista completa dos museus pertencentes à rede.

Fonte: https://www.timeout.pt/porto/pt/noticias/rede-de-museus-do-douro-cria-passaporte-com-descontos-071520

Conheça os módulos complementares do Koha desenvolvidos exclusivamente pela KEEP SOLUTIONS!

By | Notícias

A KEEP SOLUTIONS desenvolveu um conjunto de módulos que visam complementar os processos de negócio implementados pelo Koha. Tratam-se de módulos desenvolvidos e distribuídos exclusivamente pela KEEP SOLUTIONS e são:

– Empréstimo interbibliotecas
– Gestão de formações
– Gestão e visualização de objetos digitais
– Extração e indexação de texto
– Reserva de equipamento e gestão de tempo de utilização
– Integração com equipamentos RFID
– Integração com redes sociais
– Autenticação com cartão de cidadão

Poderá consultar a descrição de cada um dos módulos no documento MÓDULOS COMPLEMENTARES DO KOHA.

Acreditamos que estes componentes trarão valor acrescido ao seu sistema de gestão de biblioteca. Tratam-se de novas funcionalidades que, com certeza, facilitarão a execução de várias tarefas importantes na gestão de todas as atividades da(s) sua(s) biblioteca(s).

Caso pretenda mais informação, ou tenha alguma questão sobre algum destes módulos, por favor, não hesite em falar connosco, através de um dos nossos contactos.

O CEF Telecom tem candidaturas abertas para financiamento de projetos. Conheça os prazos e condições!

By | Notícias

O Connecting Europe Facility (CEF) Telecom é um instrumento essencial da EU para facilitar a interação transfronteiriça entre administrações públicas, empresas e cidadãos, desenvolvendo infraestruturas de serviços digitais de banda larga. Os projetos apoiados pelo CEF Telecom contribuirão para a criação de um ecossistema europeu de serviços digitais interoperáveis e interconetados que sustentem o Mercado Único Digital.

Este programa tem previsto um montante de 1 milhão de euros para propostas no âmbito das redes europeias no setor das telecomunicações.
Para fazer a sua candidatura deverá consultar toda a informação disponível no PROGRAMA DE TRABALHO.

Virtual Info Day

O CEF Telecom irá promover uma sessão online de esclarecimento, o Virtual Info Day, que dará toda a informação necessária para submeter a sua proposta. A sessão acontecerá amanhã, dia 16 de julho, e para participar é necessário fazer a respetiva inscrição.

Transmissão da sessão: https://webcast.ec.europa.eu/2020-2-cef-telecom-virtual-info-day

Fonte: https://ec.europa.eu/inea/en/connecting-europe-facility/cef-telecom/apply-funding/2020-earchiving

NOVA Medical School disponibiliza novo software para gestão da sua biblioteca. Conheça o catálogo online!

By | Notícias

A NOVA Medical School – Faculdade de Ciências Médicas (NMS-FCM) da Universidade Nova de Lisboa disponibilizou recentemente um novo sistema de gestão integrada da sua biblioteca a toda a comunidade académica. A NMS-FCM tem agora em funcionamento o software Koha e a KEEP SOLUTIONS foi a empresa responsável pela sua implementação.

A empresa forneceu todos os serviços associados à correta instalação e configuração do software, nomeadamente, a adaptação da identidade gráfica do portal de forma a ir ao encontro da identidade e imagem da escola, a migração de todos os dados do sistema antigo para o Koha e formação na ótica da utilização do software. Agora que o Koha está implementado e perfeitamente operacional, a KEEP SOLUTIONS garante um serviço especializado de apoio e suporte e respetiva manutenção do software.

Conheça melhor este projeto através do portal e respetivo catálogo em linha que está disponível para a consulta e gestão de reservas dos conteúdos da biblioteca em https://biblioteca.nms.unl.pt/ . Trata-se de um portal renovado, simples e apelativo que confere uma maior comodidade aos seus utilizadores.

Esta é mais uma escola da Universidade Nova de Lisboa que decidiu alterar o seu sistema de gestão de bibliotecas para o Koha, juntando-se, assim, à Information Management School (IMS) e a School of Business and Economics (SBE) que já utilizam este software.

A NOVA Medical School|FCM (NMS|FCM) celebra em 2020, 43 anos de existência, sendo uma unidade orgânica da Universidade NOVA de Lisboa. Conta atualmente com 1.709 alunos no Mestrado Integrado em Medicina, 42 na Licenciatura em Ciências da Nutrição e 399 em formação pós-graduada e um total de 677 docentes e investigadores.

Visite o catálogo!

Escavações em santuário rupestre revelam novos dados da ocupação romana. Saiba onde!

By | Notícias

As escavações arqueológicas no Santuário Rupestre de Argeriz, em Valpaços, permitiram identificar uma cronologia de ocupação datável do império romano e recuperar algum material daquele período, adiantou à Lusa o vereador daquela autarquia, Jorge Mata Pires.

Este projecto arqueológico do concelho de Valpaços, no distrito de Vila Real, está integrado numa investigação plurianual que tem como objectivo principal a identificação do património arqueológico naquela região, para acrescentar novos dados e encontrar novos materiais, sublinhou.

A iniciativa da autarquia tem a direcção científica dos arqueólogos Pedro Abrunhosa Pereira e Maria de Fátima Machado.

“Neste momento os arqueólogos encontram-se a realizar os procedimentos de pós-escavação e haverá novidades para breve”, destacou. Jorge Pires explicou que as primeiras referências escritas daquele santuário rupestre estão registadas em memórias paroquiais de 1758, destacando também o trabalho de investigação de Adérito Medeiros Freitas.

Aquele monumento, classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1984, tem sido alvo de referências por parte de investigadores nas últimas décadas.

Após terminarem o trabalho na freguesia de Argeriz, os arqueólogos vão arrancar com escavações no castro de Santa Valha, em outro ponto do concelho. “Vão decorrer junto à zona dos lagares escavados na rocha, que se julga ser também de ocupação romana, pois há fortes indícios”, acrescentou o vereador.

Este trabalho arqueológico promovido pela autarquia tem como o objectivo criar uma “protecção para aquele tipo de património, que é património frágil e sensível”. Mas também para “permitir novas descobertas desse mesmo património, do público em geral e sobretudo também, porque são intervenientes, as populações locais”.

A autarquia de Valpaços está, assim, a actualizar a Carta Arqueológica do concelho, com o conhecimento histórico-arqueológico sobre o concelho, para o melhor proteger e divulgar.

Fonte e mais informação: https://www.publico.pt/2020/07/09/local/noticia/escavacoes-santuario-rupestre-valpacos-revelam-novos-dados-ocupacao-romana-1923754

Relatório sobre futuro dos museus recomenda mais autonomia e articulação com a ciência

By | Notícias

O reforço da autonomia dos diretores de museus e monumentos e a articulação mais estreita com a ciência e a investigação são algumas das recomendações constantes do relatório preliminar do Grupo de Projeto Museus no Futuro.

Em declarações à agência Lusa, a ministra da Cultura, Graça Fonseca, revelou que estas são algumas das propostas incluídas no documento que será entregue ao Conselho Geral dos Museus para análise e discussão esta segunda-feira, dia 6, numa reunião no Palácio da Ajuda, em Lisboa. O Grupo de Projeto Museus no Futuro (GPMF) foi criado em 2019, no âmbito do novo regime jurídico de autonomia de gestão dos museus, e recebeu como missão refletir e apresentar recomendações para medidas de políticas públicas para curto, médio e longo prazo.

Perspetivar um modelo para o futuro dos museus em Portugal é o principal objetivo deste grupo, criado por resolução do Conselho de Ministros, no ano passado, e composto por representantes de várias áreas governativas: a Cultura, os Negócios Estrangeiros, a Defesa Nacional, a Economia, a Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e a Educação.

As áreas de reflexão foram cinco: gestão de museus, palácios e monumentos nacionais; redes e parcerias; transformação digital; gestão de coleções e, por fim, públicos e mediação.

Com o relatório preliminar em mãos, Graça Fonseca destacou, entre as medidas propostas, de curto, médio e longo prazo, nas cinco áreas de reflexão, “o reforço da autonomia dos diretores dos museus, palácios e monumentos”.

“Esta autonomia é fundamental para cada diretor aprofundar a sua visão de longo prazo, e criar um plano de gestão da respetiva coleção, programação e ligação aos públicos”, salientou a ministra à Lusa, recordando que os concursos internacionais abertos recentemente vão dar a possibilidade dos mandatos serem renovados três vezes (até um máximo de nove anos).

A ministra salientou que o regime jurídico de autonomia de museus, palácios e monumentos “é um primeiro passo de curto e médio prazo para perspetivar os próximos dez anos”, e o relatório agora em fase de conclusão está estreitamente ligado à nova legislação.

Nas recomendações do GPMF, Graça Fonseca destacou ainda a “articulação mais estreita da cultura com a ciência e a investigação”.

Nessa área, a ministra apontou que o Ministério da Cultura “tem vindo a trabalhar com o Ministério da Ciência e da Tecnologia num projeto a cinco anos para colocação de emprego científico”, em museus e monumentos.

No âmbito deste projeto está prevista a abertura de bolsas de doutoramento para museus, palácios e monumentos, para colocação faseada de 100 doutorandos e 25 investigadores, adiantou Graça Fonseca à Lusa.

“O objetivo é conseguir reforçar competências e assegurar a transmissão de conhecimento nas áreas de conservação, inventariação e restauro” dentro dos museus, palácios e monumentos, para evitar a perda dessa riqueza de informação e experiência acumuladas.

Graça Fonseca indicou que, em setembro deste ano, irão ser publicados os primeiros avisos deste projeto por parte da Fundação para a Ciência e Tecnologia e a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), que tutela museus, palácios e monumentos.

Fonte: https://www.pportodosmuseus.pt/2020/07/05/relatorio-sobre-futuro-dos-museus-recomenda-mais-autonomia-e-articulacao-com-a-ciencia/